segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

OM 360º - Debate - Cenário do Metal Brasileiro

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Accept - Blind Rage Tour - São Paulo - 08/04/16 - Review





No dia 08 de abril ficará marcado na história do Over Metal.  Falar desse show é impossível não mencionar o que rolou nesse dia.
Para uma missão tão importante era necessário um trabalho em equipe, por isso Isabele Miranda veio do Paraná para São Paulo e ainda contamos com um reforço de peso, o amigo Eric de Hass, experiente no cenário da música pesada que nos deu suporte para cumprir a missão do dia, “entrevistar o baterista Christopher Williams, além de conversar com a banda e registrar o momento. Bom, com o time escalado seguimos com nosso plano, tínhamos objetivos pesados para cumprir neste dia.
Seguimos ao Hotel conforme combinado com antecedência e fomos recebidos atenciosamente por Christopher Willian, baterista da banda e após a entrevista encontramos toda a banda no Hall do Hotel num clima descontraído.

Na entrevista, que estará em breve no nosso canal (https://youtu.be/4Mc8HteZWDE), Christopher Willians falou sobre os shows no Brasil e mais detalhes, foi entregue a ele um presente do Over Metal, uma camisa oficial da Seleção Brasileira, no qual ele se comprometeu a usar no show daquela noite. Registramos esse momento em fotos, e também com a banda no hall do Hotel. Neste momento o Accept seguia para o Carioca Club para o soundcheck e fomos preparar para acompanhar o show tão aguardado naquela noite de sexta feira.

Chegamos ao Carioca Club e o show já tinha iniciado, casa lotada, banda com o público na mão, som estava perfeito, clima de total excitação e festa.
A banda despejou riffs, solos, performance em alto nível. O público? Respondiam em cada música com coros, cantando as músicas do início ao fim. O engraçado e interessante é que o ACCEPT provoca nas pessoas de gerações diferentes o mesmo sentimento, você via os garotos e novatos e os mais experientes do local se divertindo e contagiado quase que da mesma forma.
Wolf comandando o público com sua guitarra, solos e dinâmicas com o público, um grande exemplo é "Metal Heart" levando o público ao ápice de interação entre fãs e a banda.
Ao longo da apresentação músicas como “Stalingrad”, “Dying Breed”, “Metal Heart”, foram marcantes e grandes destaques, mas não foram as únicas a empolgar o público. O show se encerraria com a música mais conhecida da banda “Balls To The Wall” que levou o público ao delírio e plenitude cientes de que naquela noite ninguém ficou devendo a ninguém
Veja o Set List completo:
- Stampede
- Stalingrad
- Hellfire
- London Leatherboys
- Living For Tonight
- Restless
- Midnight Mover
- Dying Breed
- Final Journey
- Shadow Soldier
- Starlight
- Bulletproof
- No Shelter
- Princess
- Dark Side
- Pandemic
- Shark
- Metal Heart
- Teutonic Terror
- Son of a Bitch
- Balls To The Wall

(Final de show): Bound To Fail (Playback)
 
Após o show a banda recebeu alguns fãs, músicos de bandas brasileiras e jornalistas no Backstage num espaço e momento reservado e gentilmente autografaram discos, tiraram fotos e gravaram vídeos com fãs e amigos.

O Accept deixa em São Paulo a marca e exemplo do que precisa ser um show de Metal, diversão! Deram uma aula um show impecável, arrepiante, mostraram o que uma verdadeira banda precisa ter ou ser. Saber conduzir seu público ao êxtase, emocionar e trazer o público para dentro do show, tendo os fãs como parte preciosa e contagiante de tudo aquilo.

Faltam palavras para expressar a grandeza e qualidade do show do Accept, espero que as imagens e vídeos revelem um pouco do que senti naquela noite.

Espero em breve estar novamente frente a frente com esses gigantes do Metal.

sexta-feira, 4 de março de 2016

CANCER NO BRASIL - EM NOITE DE BANDA GRINGA, TORTURE SQUAD MOSTRA A FORÇA DO METAL BRASILEIRO


Dia 27/02 - Clash Club - São Paulo

Tarde tranquila de sábado e com o fim de tarde no Clash Club, uma promessa de grande evento com três bandas brasileiras e os britânicos do Cancer fazendo sua única apresentação no Brasil. 
E não foi diferente do que eu esperava, as bandas proporcionaram aos aproximadamente 250 Headbangers presentes ao local uma noite de muito Death Metal e Death bem variado, já que cada uma das bandas executavam um Death Metal específico. Desde o Old School Death\Thrash do Cemitério, passando pelo Extremo do Cauterization, o agressivo, técnico e de alto nível do Torture Squad e o Death cru, direto realizado pelo Cancer. O Over Metal esteve presente e conta como foi essa noite marcante.

Pontualmente as 17 hs as portas já estavam abertas e as 17:20 CEMITÉRIO assumia o palco, os bangers ainda chegavam timidamente ao local e entravam aos poucos na casa. Cemitério com seu som direto, calcado na velha escolha e temáticas em parte no padrão de filme de terror anos 80 (particularmente aprecio muito) foi observado pelos presentes e executou um set com músicas conhecidas e cantadas por parte dos bangers presentes.



Set List Cemitério:
- Intro - A Casa do Cemitério - Sexta Feira 13 - Quadrilha de Sádicos - Holocausto Canibal - Tara Diabólica - O Dia de Satã - A Sentinela dos Malditos - Natal Sangrento - Asilo Sinistro - Pague Para Entrar, Reze Para Sair - A Vingança de Cropsy - A Volta dos Mortos Vivos


Breve intervalo e troca de palco e por volta de 18:30 lá estavam o trio do CAUTERIZATION, executando seu Blackned Death Metal visceral e marcante. 


Trio do Cauterization no palco do Clash Club

A banda teve algumas pausas durante show acertando detalhes do som no palco a pedido da vocalista, mas conseguiu fazer uma apresentação firme, agressiva do incio ao fim destacando a faixa que a banda trabalhou nos últimos anos "Males Infestus".  

Nunca tinha visto a banda ao vivo, mas gostei do set apresentado pela banda. Maysa (guitarra/voz) segurando a voz, fazendo as bases e solando mostrou a capacidade e versatilidade que tem, tocando totalmente desprendida do seu instrumento e despejando agressividade vocal e pelos riffs brutos de sua guitarra.
Banda bem entrosada, subiu, deu seu recado direto, curto, bruto e bem executado.

Colocaram os bangers no clima do que estava por vir com os dois grandes nomes da noite.


Set de Pedais de Maysa (Cauterization)
TORTURE SQUAD se preparava e um clima diferente tomava o local, acredito que até a banda (muito experiente e velha de estrada), estivesse um pouco ansiosa pela apresentação dessa noite, principalmente os dois novos membros, era a primeira apresentação em São Paulo. 




Tocar em casa nem sempre é fácil, tocar para um público que está acostumado com a banda e conhece toda a história e fase, aumenta a tensão. 
Mas amigos, estamos falando de Torture Squad, banda que tem preparo, treino pesado pra encarar qualquer campo de batalha, nem os novos integrantes da banda são amadores e por volta das 19:25 lá estava a banda postada no palco e já inciando a apresentação com "Return Of Evil" faixa recém lançada com vídeo clipe que apresentou a nova formação da banda. 
Nas duas primeiras músicas o público ficou um pouco na observação, público e banda pareciam oponentes num ringue em que no primeiro round ambos se estudam, mas na terceira música "Inner Strength", parece que a banda pegou uma granada, tirou o pino e jogou no meio do público, abriu se uma roda, sim era faixa já conhecida sendo tocada, mas dali em diante os bangers não pararam mais, mosh insano.
Banda e público a vontade, clima perfeito, enfim, a noite estava com cara de show de Death Metal. Falar de Castor e Amilcar e chover no molhado, performance, precisão e segurança de sempre, Rene a vontade, executando de forma segura cada musica e demonstrando que não é por acaso o novo guitarrista de uma das bandas mais competentes do Metal brasileiro. 
Set List Torture Squad
Mayara era talvez o grande foco das atenções, era a grande mudança apresentada pela banda, que volta a ser um quarteto e como a nova voz da banda e no formato como quarteto a grande comparação que muitos estavam fazendo era com o antigo vocalista Vitor Rodrigues (Voodoopriest). Mas acredito que com esse show ela conseguiu mostrar o motivo de sua entrada na banda. Versatilidade e variação vocal muita boa, com o tempo e entrosamento e novos trabalhos isso vai ficar perfeito, ao meu ver encaixou perfeitamente na banda. 
Falar do Torture é um tanto complicado para mim, a banda executa um som (que na verdade não dá pra limitar, rotular como especificamente Death Metal) exatamente como aprecio, trabalhado, com alternâncias e ao mesmo tempo preciso, com agressividade e peso. Óbvio que eu vá ficar muito satisfeito com eles ao vivo, mas a apresentação da banda foi intensa sim, uma banda brasileira com tamanha maturidade, qualidade e ao mesmo tempo gás total, resultado da mescla de experi~encia e juventude, totalmente equilibrados pelo fato de ter hoje dois membros mais jovens e dois bem mais experientes. Promessa de vir muita coisa nova e boa nos próximos shows e trabalhos de estúdio. A banda executou musicas conhecidas e apresentou novas que estarão no EP que será lançado agora em Março. 


Um show de encher o brasileiro de orgulho e digo em letras garrafais "AMERICANOS E EUROPEUS VOCÊS TEM MUITAS BANDAS HISTÓRICAS E EXCELENTES, MAS UMA COISA NUNCA TERÃO ORGULHO DE TER, TORTURE SQUAD É DO BRASIL". 
A banda encerrou a  apresentação, deixando um belo problema para o Cancer. levou os bangers ao limite. Muitos já estavam moídos a essa altura do show. 

Os britânicos do CANCER subiram ao palco de forma direta e já despejaram seu Death Metal sem meio termo.



John Walker na abertura da apresentação
O público num misto de cansaço e euforia de ver a única apresentação dessa turnê no Brasil, observou mais o inicio da apresentação e aos poucos tanto banda quanto público se entregavam aproveitando melhor a noite. Com "Death Shall Rise" foi inevitável, os bangers já eram dominados e o ambiente tomado. Pelo meio da apresentação o público conseguiu se recuperar do estrago causado pelo Torture Squad e foi possível ver roda se abrindo e bangers aproveitando ao máximo o bom e velho Death Metal executado pelo Cancer. 
Set List do Cancer
Uma breve parada de dois minutos para ajustar problemas no bumbo apontado pelo batera Carl Stokes e o show seguiu em frente. O som da casa estava bem distribuído, mas a meu ver um pouco estourando nas caixas e algumas partes mais graves e pesadas eram perceptíveis, mas nada que comprometesse o show das bandas, a quem goste de som explodindo os tímpanos (rsrs). Cancer encerrava a
apresentação com um cover do Celtic Frost "Dethroned Emperor". Eram pouco mais de 22 hs e o show chegava ao fim, uma sensação completa de dever cumprido, ótimas apresentações de cada banda, que apesar de todas serem Death Metal, cada uma seguia uma linha dentro do Death Metal proporcionando uma excelente noite aos presentes.


Antes que acabasse a noite, rápida passada no Stand das bandas e ainda deu tempo de adquirir uns materiais.

Fim de noite, fim de show e ainda teríamos uma madrugada inteira pela frente. Uma prova que podem rolar shows, talvez com 3 bandas no máximo, mas com esse mesmo nivel de organização e profissionalismo no meio de semana, abrindo mais datas para as bandas realizarem turnês e shows, basta os headbangers validarem ideias como essa comparecendo.

Uma grande noite onde a atração principal vinha do outro lado do oceano, mas, ao meu ver, os donos da noite sairam do quintal de casa, Torture Squad, que show, que apresentação. Metal brasileiro mais forte e vivo do que nunca.

Nos vemos no próximo show.
Cancer durante a apresentação no Clash Club

Resenha por Phill Lima
Fotos e Vídeos por Phill Lima e Claudio Tiberius

Links do Over Metal

YouTube: https://www.youtube.com/c/OVERMETALZINE
Page: https://m.facebook.com/OverMetalZine
Blog: http://overmetalezine.blogspot.com.br/

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

VIPER - MESMO TECNICAMENTE NÃO MUITO BEM, A BANDA FAZ UMA APRESENTAÇÃO MARCANTE NO RIO


VIPER - 28/02/16 - CIRCO VOADOR - RIO DE JANEIRO
Resenha por Nelson Cordeiro
Depois de um dia quente no Rio de Janeiro, por volta das 20 hs um dos maiores nomes do Metal Brasileiro subiu ao palco da casa mais clássica para shows de Heavy Metal no Rio, Circo Voador.
A noite prometia ser mais quente ainda, pela expectativa dos fãs em rever a banda e poder cantar clássicos.
E não foi diferente, neste show do Viper pude reviver minha adolescência! Uma das bandas que me influenciou a estudar música ali na minha frente detonando todos os seus sucessos e clássicos.
O ápice? Claro, foi a "Living for the night"!


Casa cheia, galera animada e a banda se permitindo tocar como se estivesse numa festa e reunião de amigos. No fim do show Andre Matos foi para o baixo, Pit assumiu os vocais, e depois André Matos pegou a guitarra, Hugo e Pit no vocal, o clima era total de festa, algo que o Viper consegue criar e proporcionar aos seus fãs quando sobem aos palcos.
Ao final do show super descontraídos tocaram, "Ace of Spade", "Holy Diver", "Beat it" ( zoando muito!! Super interação com a galera! Muito Foda!).
Voltei aos meus 15 ou 16 anos! Revivi o começo de tudo, uma noite especial.
Assim se encerrava a passagem desse grande e importante nome do Metal Nacional no Rio de Janeiro, uma festa entre amigos.
Resenha, Videos e Fotos por Nelson Cordeiro (Tellus Terror)
Edição: Thomas Abrantes




ACCEPT - BANDA FARÁ 5 SHOWS PELO BRASIL

 

São Paulo – 8 de Abril, Sexta-feira, no Carioca Club
Rio de Janeiro – 9 de Abril, Sábado, no Imperator
Belo Horizonte – 10 de Abril, Domingo, no Music Hall
Manaus – 12 de Abril, Terça-feira, no Teatro Manauara
Curitiba – 14 de Abril, Quarta-feira, na Ópera de Arame



A Free Pass Entretenimento confirmou a tour da banda alemã de Heavy Metal ACCEPT no Brasil para Abril de 2016.

Os shows fazem parte da turnê “Blind Rage Tour 2016”, e passará por cinco capitais brasileiras:
São Paulo – 8 de Abril – Carioca Club
Rio de Janeiro – 9 de Abril – Imperator
Belo Horizonte – 10 de Abril – Music Hall
Manaus – 12 de Abril – Teatro Manauara 
Curitiba – 14 de Abril – Ópera de Arame

Formada atualmente por Mark Tornilo (vocal), Wolf Hoffmann (guitarra), Uwe Lulis (guitarra), Peter Baltes (baixo) e Christopher Williams (bateria), o grupo alemão promete tocar seus maiores clássicos, além de algumas surpresas.

Os ingressos para todas as apresentações começarão a ser vendidos na próxima sexta-feira, dia 29 de Janeiro, a partir das 11:00hs da manhã, tanto online como nos pontos de venda físicos.


Mais em:


Over Metal Web TV! Acesse aqui!


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

TANKARD - APRESENTAÇÃO ÚNICA NO BRASIL EMPOLGA FÃS DE THRASH METAL

 Confiram Todas as Fotos aqui!Tankard – Hangar 110 – Bom Retiro – São Paulo – Brasil

No último Domingo, 21 de fevereiro de 2016, a Banda Alemã Tankard se apresentou no Hangar 110 em um show insano e avassalador. O show começou as 20 hs e proporcionou aos presentes, em grande número, uma noite intensa e sonoramente agressiva como deve ser um show de Thrash Metal. Os fãs subiam ao palco a todo momento e interagiam com a banda que esbanjavam carisma e muita energia. A animação e interação do vocalista Andreas Geremia era tanta que até selfie com fã teve no meio da apresentação.
CONFIRAM TODOS AS FOTOS AQUI!
O Show teve uma breve pausa por iniciativa da banda que parou a música e pediu para a produção acender as luzes por causa de um fã que passou mal e caiu junto ao público, mas depois do contratempo o show continuou e os fãs voltaram ao delírio aproveitando ao máximo o melhor do Thrash Metal alemão executado pela banda Tankard.

A banda executou o seguinte Set List:
- Zombie Attack
- The Morning After
- Fooled By Your Guts
- Not One Day Dead
- The Beauty And The Beast
- Stay Thirsty
- Rapid Fire
- Rules For Fools
- Maniac Forces
- Die With A Beer In Your H.
- Minds On The Moon
- R.I.B (Rest In Beer)
- Metal To Metal
- Space Beer
- Rectifier
- Chemical Invasion
- Alien
- A Girl Called Cerveza
- (Empty) Tankard

Passava de 21:40 e chegava ao fim a única apresentação do Tankard no Brasil, grande noite para os fãs do bom e velho Thrash Metal. Mais uma noite marcante que prova que o Thrash continua a ser um estilo forte e muito vivo dentro do Metal.
O Over Metal esteve presente e registrou mais detalhes desta grande noite, Confiram as fotos de Tankard no Brasil.
CONFIRAM TODAS AS FOTOS AQUI!

Resenha e Fotos Por Andreia Takaishi
Over Metal Team

Links do Over Metal
YOUTUBE
FACEBOOK
BLOGSPOT



terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

TANKARD - APRESENTAÇÃO ÚNICA NO BRASIL NO PRÓXIMO DIA 21/02


Neste Domingo 21 de fevereiro, um grande nome do Thrash Metal mundial se apresenta no Hangar 110, em São Paulo.
A banda Alemã TANKARD fará uma única apresentação no Brasil.
Confiram detalhes sobre o show e de como adquirir os ingressos:

Local: Hangar 110 - Rua Rodolfo Miranda, 110 - Bom Retiro (Metrô Armênia)
Data: Domingo - 21/02/2016
Abertura da casa: 18:30
Show: 20:00
Censura: 14 Anos
Ingressos:
R$ 100,00 - Pista (promocional/antecipado)
R$ 150,00 - Camarote (promocional/antecipado)
Ponto de venda sem taxa de conveniência:
Paranoid (Galeria do Rock)
Outros pontos de venda com taxa de conveniência:
Realização: www.overload.com.br

domingo, 17 de janeiro de 2016

KRISIUN - LANÇAMENTO "FORGED IN FURY" SESC BELENZINHO - SÃO PAULO




Dias 08 e 09 de janeiro o Sesc Belenzinho em São Paulo recebeu os shows de lançamento do álbum "Forged In Fury" do Krisiun.

Duas noites com casa lotada e apresentações marcantes.
Minha saga para este evento iniciou na tarde do dia 08.

O Over Metal chegou por volta de meio dia ao local onde preparamos o que seria realizado à noite na cobertura do evento e para uma possível entrevista com a banda Krisiun.

Fica o destaque aqui para a ótima estrutura e organização do Sesc Belenzinho. Excelente lugar e estrutura para realizar o trabalho de imprensa. Total organização que facilitou e muito a cobertura do evento. Conseguimos falar com a assessoria do Sesc Belenzinho que nos deu toda orientação e determinou os horários para trabalhar e ter acesso a banda no evento.


Nesta primeira noite nos concentramos em acompanhar o evento e a entrevista com o Krisiun ficou marcada para o segundo dia.
Conforme determinado na programação, às 21:30 a tradicional frase de abertura da banda foi lançada por Alex Camargo: "O KRISIUN ESTÁ AQUI".
Daí em diante foi um misto de destruição e festa do headbangers. Estar diante de um dos maiores nomes do Death Metal mundial sabendo que eles são brasileiros e motivo de muito orgulho.
Set List
A banda fez uma apresentação de 1 hora e meia, apresentando músicas do novo álbum e as inevitáveis "The Will To Potency", "Combustion Inferno", Descending Abomination" e "Conquerous of Armagedom".

Momento marcante foi a participação especial de João Gordo na música "Extinção em Massa" levando o público a ao delírio e gritos de "Ratos, Ratos, Ratos".


A primeira noite seguia para o fim e era inevitável que a banda fizesse homenagem ao Grande Lemmy do Motorhead falecido no apagar das luzes de 2015 e isso culminou em dois tributos ao grande vocalista e baixista, através das músicas clássicas "Ace Of Spades" e "No Class" e pra encerrar a noite o grande clássico de 20 anos atrás "Black Force Domain" cantado a plenos pulmões pelos fãs.
Foto Por Pri Secco


Assim se encerrava a primeira noite do lançamento do "Forged In Fury" em São Paulo e na foto abaixo é possível ver o clima e atmosfera gerada pela banda nesta grande noite.





Depois do Show o Over Metal teve uma breve conversa no backstage com alguns músicos e produção e acertamos mais detalhes sobre a entrevista que ocorreria no dia seguinte (09 de Janeiro).


Moyses (Krisiun), Phill Lima (Over Metal) e João Gordo (Ratos de Porão)

Sergio Hanneman e Phill
Essa primeira noite foi também uma grande oportunidade de encontrar e reencontrar velhos amigos, a maioria apenas contatos virtuais e até nisso um grande evento como esse nos proporciona momentos marcantes. Isso tornou o noite completa, rever e encontrar amigos completa tudo e deixa o evento com a atmosfera específica do que é  deve ser um show de Metal.

Maria, Andre, Andrea e Phill
Ana Paula e Phill Lima
Nem todos foram possíveis para e registrar uma foto pra eternizar o momento, não consigo ficar parado num só local durante um evento. Gosto de observar o show de vários locais, frente de palco, lado de palco, atrás do palco para ter uma noção total de como está o show no ponto de vista do público, mas também ter uma ideia de como está no ponto de vista da banda, produção, e claro o nosso ponto de vista como imprensa. Com isso na correria o máximo que consegui chegar perto de alguns amigos "foi estar a 2 metros de distância e trocar um olhar e breve gesto", mas já foi o suficiente e mais pra frente oportunidades de estar juntos surgiriam pra conversar com calma e fortalecer a amizade.





Para a segunda noite estava marcada uma entrevista com o Krisiun, Chegamos durante a passagem da banda e conforme combinado o Over Metal foi recebido pela assessoria do SESC Belenzinho e encaminhado até a banda, realizamos um ótima entevista e conversa com Max Kolesne (Batera) onde ele falou sobre detalhes do novo álbum e carreira da banda.

Max após conceder entrevista ao Over Metal

E chegava a hora da segunda noite, casa lotada novamente, muitos poderiam dizer que seria um show sem muita emoção por ser no mesmo lugar e set list similar ao da noite anterior. Grande engano, isso aqui é Krisiun, A segunda noite foi mais emocionante e intensa que a primeira, em partes porque o público não era exatamente o mesmo, e as apresentações foram um pouco mais intensas e pareciam que a banda estava mais a vontade do que no dia anterior.

Foto por Pri Secco



Até a participação de João Gordo foi melhor do que na noite anterior. Me permiti curtir mais um show como se fosse parte do público por ter assistido o dia anterior.


Extinção em Massa foi incrivelmente executada, cantada a plenos pulmões uma das parcerias mais insanas entre bandas já gravadas. O público foi ao êxtase com a participação de João Gordo ao tocarem essa música.

Max executando Extinção em Massa - Foto por Phill Lima











Novamente a noite se encerrava com homenagens ao Motorhead com "Ace of Spades" e "No Class", muitos diriam enfim, fechou com chave de ouro, mas dos pulmões do público viam gritos exaltados do refrão clássico de, talvez a música mais clássica da história da banda, sim o público gritou repetidas vezes "Black Force Domain, Black Force Domain" e a destruição se encerrava com esse hino que já tem mais de 20 anos. Insano, brutal, avassalador e monstruoso, isso foi o Krisiun, isso foi o lançamento do "Forged In Fury" em São Paulo. A banda continua a lançar trabalhos com qualidade, tecnica e brutalidade e fazendo shows perfeitos honrando a fidelidade e amor dos seus fãs.

Fim de show, reencontro mais uma vez com amigos e integrantes de bandas.
Assim encerrava o show de lançamento do album Forged In Fury em São Paulo e um final de semana onde o Metal Brasileiro celebrou o grande momento que vive esse gigante do Death Metal mundial, Krisiun.

Em breve na Web TV do Over Metal terá a entrevista exclusiva de Max Kolesne concedida ao Over Metal.
Aguardem.
Confiram aqui um dos nossos Programas  https://youtu.be/zYnzZY0_Q9w


O Over Metal agradece a Assessoria de Imprensa do SESC Belenzinho mais uma vez pela recepção, atendimento e total suporte concedido ao Over Metal durante os dois dias do evento, onde tivemos plenas condições de trabalho, facilitando a realização de entrevistas e cobertura do evento. também agradecemos ao suporte recebido por Andrea Aurice Priscila Queiroz que deram suporte no trabalho do dia 08 e entrevista do dia 09 (Respectivamente).


Assim iniciava nossa passagem por São Paulo, com pé direito e um grande show, muitos amigos e ótimas parcerias.

Obrigado a todos que fizeram parte destes dois grandes dias.

Foto por Pri Secco




sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

VENOM.INC - SOMOS O QUE O ESPÍRITO DO VENOM REPRESENTAVA NOS PRIMÓRDIOS!










O ano de 2015 vai caminhando para o fim, mas antes que esse ano turbulento para nós brasileiros, mas com ótimos shows se encerre,  ainda teremos o VENOM INC  desembarcando aqui para algumas apresentações. A missão de conversar com eles ficou com Dani Capra, que mora em Londres e após contato com Tony "THE DEMOLITION MAN" realizou esta entrevista que também marca sua estréia como colaboradora e correspondente internacional do Over Metal. 

Confiram está excelente entrevista!

1 - Dani - Qual é a sua expectativa sobre o retorno ao Brasil depois do que aconteceu com Zombie Ritual Festival?
Demolition: Bem, nós iríamos ao Zombie Ritual, eu e Mantas, com M:PIRE OF EVIL, mas o nosso agente de reservas falhou,  não foi a produção do festival, portanto, não houve desentendimentos com a produção nem brigas relacionado a eles, foi aqui mesmo o problema
Eu fiquei muito chateado, como todos que me conhecem, sabem meu grande amor pelo Brasil e o prazer de estar aí tocando.
Assim, logo que pude, comecei a trabalhar para conseguirmos voltar ao Brasil. 
Então veio VENOM.INC do nada e agora aqui estamos a caminho do Brasil para tocar novamente. 
E o sentimento? É Incrível! Ansiosos para apresentar aos fãs brasileiros toda a verdade e realidade da música do Venom aos incríveis e leais fãs, tanto os velhos fãs, como os novos.
  
2. Dani - O Que o Venon.Inc está preparando para os fãs em 2016?
Demolition: Nós faremos shows pelos EUA e Canadá em janeiro, depois METAL ASSAULT FESTIVAL na Alemanha, em seguida iremos para o Japão, Singapura e Índia.
Um álbum novo será gravado depois disso e, em seguida, virá uma turnê européia, bem como aparições em festivais ao redor do mundo conforme forem surgindo mais confirmações de agenda.
  

3. Dani - O que o Venon.Inc planejou para as apresentações no Brasil?
Demolition: Trazer música de verdade, pura, honesta e fazer um show perfeito e intenso aos brasileiros porque eles merecem.
Nós temos um grande legado de material do Venom a apresentar e queremos dar isso de volta para os fãs que apoiaram durante todos estes anos.  Não apenas tocar e receber dinheiro do público e ir embora, mas compartilhar com eles o sentimento real da música. Sem eles não há nenhuma banda, assim que nós seguimos em frente de mãos dadas, público e banda.  Vamos dar tudo o que temos a oferecer nos palcos para eles numa noite de Inferno e Mutilação sem piedade!!!
  
4. Dani - Com sua experiência de tocar no Brasil e na Europa, pra você qual a diferença entre os fãs brasileiros e os fãs europeus?
Demolition:  Você sabe! Todos os fãs de música têm uma grande paixão, são intensos, mas é claro, O Brasil é muito especial para mim, então os fãs são também. Sempre calorosos, gentis e  tão respeitosos. Eu sei que há aqueles que não gostam de mim lá também ou com o que eu faço musicalmente, mas tudo bem. Todos nós temos nosso próprio gosto, mas mesmo assim eu respeito a honesta opinião de cada um. Sinto-me grato pelas grandes palavras que recebo de fãs brasileiros e honrado por estar tocando pra eles nos próximos dias
  
5. Dani - O que você acha sobre o mundo musical atualmente? O que melhorou e o que requer melhorias?
Demolition: Eu acho que ele não está morrendo nem morto, apenas mudou e a mídia digital mudou o nosso mundo musical.  Quando a gente vai a qualquer shopping center e observa, vemos várias pessoas em seus smarthfones, saem de casa mas não estão conversando, interagindo, etc. Estão nas ruas, mas cada um em seu próprio mundo de celulares e tecnologias.
Isso mudou como a música é comprada, vendida, ouvida e consumida atualmente.
O mundo virtual é ótimo para bandas que não tem nenhum selo, gravadora ou que não podem pagar o tempo de estúdio.  Eles podem escrever gravar e produzir em casa, fazer arte, usar páginas e redes sociais e fazer upload de tudo, em seguida, usando sites de música, webzines levam seus trabalhos as pessoas.
Isso é incrível!

MAS
A desvantagem é:
A música é visto agora como gratuita e os artistas, como consequência, sofrem!!!  Como em qualquer trabalho, se você não pode ganhar dinheiro fica complicado, você não pode trabalhar com aquilo. Você se esforçando mas não podendo sustentar sua arte, fica difícil. Com isso as bandas acabam parando.

Alguém me perguntou não faz muito tempo:
Onde estão os novos Deep Purples, Sabbath's, Kiss, Iron Maiden's, Judas Priest's
Onde?
Em seus quartos, porque o que eles têm de grana, não é o suficiente para sair...
...os selos não irão investir e assumir riscos, porque muito foi perdido, com a perca da exclusividade de um trabalho, tomadas e distribuidas de graça. 
  
6. Dani - Qual foi o seu melhor momento quando você fazia parte de Venon, fale um pouco daquela época?
Demolition: Nossa, difícil dizer .... vendo o imenso retorno que tivemos do Prime Evil foi um grande momento. O álbum vendeu muito, foi incrível. A turnê que se seguiu foi incrível, marcante, tantas legiões de fãs, antigos e novos e muito insano o que seguiu ao longo de 89...
...bons tempos.
Nossa, ser Headlining ao lado de King Diamond em Bonn na Alemanha em torno de 91 foi também um ponto alto...
...nós destruimos naquele dia ... Marcante!!!
  
7. Dani - Há algo que tenha saudade da época do Venon?
Demolition: Nada .... hahahaha
Basicamente ESTE É O VENOM!!!
Mantas, Abaddon e eu ... todos nós estávamos no Venom, Mantas criou ao lado de Abaddon e ele escreveu todo o material inicial e Abaddon criou o logotipo.
Nós ainda usamos!  Agora, qualquer coisa que eu tenha saudades é aqui novamente, estamos vivendo agora!!! lol



8. Dani - Algumas pessoas no Brasil dizem que "o desempenho Venon.Inc é mais Venon do que o próprio Venon", o que você pensa sobre isso?
Demolition: A realidade é que isso quem fala são as pessoas. Coisas contra mim ou o Venom sem Cronos é opinião deles, pelo fato de não terem aberto suas mentes, já outros preferiam ou gostavam do Venom quando não era mais a era Cronos...
...isso é muito louco!
Então, Tudo o que sabemos é:
O que o Venom representava em seus primórdios, em 1979, é o que acontece hoje quando estamos lá em cima tocando. A paixão, o desempenho, a sensação entrega...
...você perceberá essa intensidade em nós se você assistir. 
Não julgue antes, veja e sinta isso.
A outra banda é uma marca que faz dinheiro a partir do nome, não uma banda!
Venom nunca foi isso!
Nós somos o que o espírito do Venom representava no começo e nesta banda são 3 caras que eram VENOM. Enfim, é isso!
 
9. Dani - Deixo o espaço livre para você enviar uma mensagem para os fãs brasileiros?
Demolition: Eu gostaria de agradecer por tudo.
Brasil você me deu uma outra casa quando estou aí e eu acho que, apesar de toda merda política e econômica que vocês estão vivendo, o povo e o país é um dos maiores do planeta e eu estou orgulhoso de visita los, para atender e proporcionar momentos incríveis e para ser bem-vindo e recebido aí....

...meu coração está aí e eu estou orgulhoso de ter tantos grandes grandes fãs e amigos no Brasil...
...obrigado Over Metal pela conversa! Nos veremos nos próximos dias amigos, ALL HAIL !!

Isso é tudo, ok?
Obrigado


Dani - Obrigado Toni por nos atender gentilmente! Boa viagem, desejamos uma excelente tour na América do Sul.
Até a próxima. 




Veja aqui o algumas datas que de shows no Brasil 




Entrevista: Dani Capra
Tradução: Phill Lima & Dani
Revisão: Phill Lima 

                                                Assista a Web TV  do Over Metal